segunda-feira, 26 de abril de 2010

Filmes: Chico Xavier ( por Tarcisio Passos / Crítico de Cinema )

"Fui ontem, na noite de estreia, assistir ao filme mais badalado dos últimos anos: Chico Xavier - O Filme. Sessões lotadas e muita expectativa. Uma expectativa que podia ser notada no semblante de cada um que encarava aquela fila. Uma salada etária e, provavelmente, recheada de muitos credos. O filme é de uma beleza incrível. Conta a história de um dos maiores e mais respeitados espíritas do mundo - Chico Xavier - (interpretado nas três fases de sua vida por Matheus Costa, Ângelo Antônio e Nelson Xavier), desde a sua infância até a sua morte, ou melhor, até a sua desencarnação.Com relação a filmes, costumo brincar dizendo que adoro saber o final antes de assisti-lo. E neste, em particular, disse a todos que estavam lá comigo, que já sabia o que aconteceria... que seria moleza. Disse em alto e bom tom: Fácil, fácil esse final: o Chico morre no final!Sessão lotada, acomodamo-nos nas primeiras filas do cinema, e mesmo que tudo pudesse nos levar a uma pré-impressão do que seria o filme, qual o seu significado e qual o seu objetivo, engana-se quem imaginou que o filme seria uma propaganda ao espiritismo ou mesmo uma publicidade ao próprio Chico Xavier.O filme é apenas a celebração de um grande homem, que este ano, caso estivesse vivo (encarnado), completaria um século de vida. Deste, seriam 96 anos de dedicação, não à doutrina espírita, mas à bondade, ao desejo de servir ao próximo. O filme emociona, alegra e nos faz refletir o quanto e por tão pouco sacrifício, fazer o bem é um exercício que fortalece a nossa alma.A vida de Chico Xavier foi marcada por sacrifícios. Ele enfrentou-os e seguiu em frente. Ajudou e foi ajudado. Sobreviveu a uma enxurrada de acusações, críticas e desconfianças. Muitos de nós passamos por tudo isso. Mas a grande virtude do Chico (a gente se sente tão íntimo do mestre espírita) foi, sem dúvida, a sua capacidade de transformar essas dificuldades a favor do bem. A bondade era sua, sempre presente, companhia. O filme é extremamente lindo. Surpreendente a maneira como Daniel Filho (Diretor) retratou a vida e obra do Chico Xavier. O filme não tem a pretensão de formar novos seguidores do espiritismo. Mas não há um segundo sequer do filme que você, espírita ou não-espírita, não se emocione, não se questione. Muitos se verão neste filme.Pois bem, recomendo a todos que venham assistir ao filme. Aqui, na sessão de estreia, além da beleza do filme, uma certeza: O Chico não morreu... Enquanto houver a bondade, ele estará vivo. Eu errei o final do filme, mas o pós- filme me surpreendeu ainda mais...Encerra-se o filme e as pessoas saem... Silêncio... Um lindo silêncio...Coisa mais linda que eu já pude presenciar em um cinema em toda a minha vida.Obrigado Chico, esteja em Paz! Vá assistir ao Chico. Eu recomendo.

5 comentários:

SOCORRO OLIVEIRA disse...

Eu como Espirita à 20 anos, fico muito, muito feliz de ouvi um comentario desse o filme ele é lindo sim ! e é também um filme para a familia

Bjão, e adorei o post

Antonio disse...

Caro Tarcisio, gostaria de saber, como crítico de cinema que és, que comentário teceste sobre a pessoa de JESUS CRISTO, ao findar A PAIXÃO DE CRISTO por Mel Gibson? Será que fizeste comentários tão veementes como os que fizeste ao Chico Xavier sobre a vida, a pessoa e a obra do DEUS que deu a vida por ti naquela cruz?

Beck disse...

Olá Antonio, primeiramente quero lhe agradecer pela visita ao Blog e por ter deixado registrado nele o seu comentário. Obrigado!

Bem, o que tenho a dizer é que não conheço o maranhense Tarcísio Passos e sinceramente não tenho como dizer a verdadeira opinião dele sobre a produção cinematográfica de Mel Gibson, mas acredito que ele não irá de forma alguma,importar-se em respondê-lo a respeito de tais questionamentos. Segue abaixo algumas formas de comunicação com ele:

* Blog: http://www.vooz.com.br/blogs/tarcisio-passos

* twitter:
www.twitter.com/tarcisiopassos

* e-mail: tarcisiopassos@hotmail.com

( pesquisei estes endereços na internet, ok?)

A respeito do filme, o que tenho a dizer é que assisti Chico Xavier e que sinceramente não achei uma "super" produção cinematográfica como a de Mel Gibson. Aliás, não creito que essa seja a proposta do Daniel Filho (diretor do filme) , que na minha humilde opinião de simples espectador de cinema, dirigiu a história com bastante delicadeza, dispensando apologias a quaisquer tipo de religião e focando na narração da trajetoria de vida do "ser humano" chamado - Xico Xavier. É um filme bonito? No que diz a respeito a mensagem de caridade, doação e amor ao próximo, na minha opinião sim. Me emocionei por vezes ao assistí-lo.

Técnicamente não estou apto a relatar aqui, e por este motivo copiei a crítica que mais me identifiquei.

Mas lhe peço que caso obtenha as resposta do Tarcísio Passos para seus questionamentos, compartilhe comigo, seria imensamente enriquecedor.

Um fortíssimo abraço e volte sempre que desejar a este Blog.

Rafael Beck - Petrópolis / RJ

Beck disse...

A opinião sobre a figura de Jesus Cristo é um assunto ligado a religião e não discuto esses assuntos aqui no blog, ok ? Cada um é livre para acreditar no que quiser e me limito a ter as minhas crenças pessoais e respeitar a dos outros.

Sem mais.

Beck.

Fábio Pais disse...

Não entendo qual a relação entre "Paixão de Cristo" e "Chico Xavier". São baseados em personagens históricos totalmente diferentes e, em termos de evolução espiritual, não há comparação, pois o primeiro - Jesus - é professor e o segundo - Chico - mero aprendiz, mesmo sendo aprendiz exemplar. O elogio à figura de Chico e seu legado em nada desmerecem a mensagem e o legado de Jesus. Muito pelo contrário, pois sempre foram baseados em sua doutrina de Amor e Caridade. Basta conhecer as obras de Chico para saber isto.
O Espiritismo não vem para descumprir a Lei, mas apenas para torná-la racional e acessível a todos.