sexta-feira, 16 de abril de 2010

Fragmento: Uma visão sobre a Religião por George Carlin

Em relação a bobagem, bobagem daquelas memoráveis, daquelas que juntam falsas promessas com tudo mais, você precisa dar o braço a torcer pra religião. Nem precisa comparar com outra, não tem competição, a religião é imbatível.
A religião é a maior lorota de todos os tempos. Pense um pouco. A religião conseguiu convencer milhões de pessoas que existe um homem invisível que mora no céu e consegue ver TODAS as coisas que TODOS os homens e mulheres estão fazendo a QUALQUER momento.
E esse homem invisível tem uma lista especial com 10 coisas que você não deve fazer. E se você fizer qualquer uma dessas coisas que constam na lista, ele tem um lugar especial pra você ir, cheio de fogo e fumaça e coisas queimando e tortura, ele vai te mandar pra esse lugar pra você viver e sofrer e queimar e engasgar e gritar e chorar pra sempre. Pra todo o sempre. Até o fim dos tempos.
Mas esse homem te ama! Ele te ama... e precisa de dinheiro. Ele SEMPRE precisa de dinheiro. Ele é o todo poderoso, todo perfeito, sabe tudo, conhece tudo, mas por algum motivo, não sabe lidar com o próprio dinheiro, precisa de um homem de vestido ou um engravatado pra servir de contador. A religião é uma indústria de bilhões de dólares, não pagam impostos e sempre precisam de um pouco mais. Agora você me apresenta uma lorota maior que essa! Puta merda.Mas eu quero que você aprenda uma coisa, estou sendo sincero, EU QUERO que você saiba de uma coisa, em relação a acreditar em Deus, eu tentei, realmente tentei, tentei mesmo.
Eu tentei acreditar que existe um Deus, que criou cada um de nós a sua imagem e semelhança, ama cada um de nós e fica observando tudo 24 horas, eu realmente tentei acreditar nisso, mas eu preciso ser sincero, quanto mais você vive, mais você olha em volta e mais você se da conta... tem alguma coisa errada.
Tem alguma coisa errada aqui. Guerra, doenças, mortes, destruição, fome, sujeira, pobreza, torturas, crimes, corrupção e até a porra da camada de ozônio. Definitivamente tem alguma coisa errada. Isso não é um bom trabalho.
Se isso é o melhor que um Deus pode fazer, eu não estou impressionado. Resultados como esse não devem pertencer a um currículo de um ser supremo. Isso é o tipo de trabalho que você espera de um estagiário de uma agencia de publicidade.
George Denis Patrick Carlin (Nova Iorque, 12 de maio de 193722 de junho de 2008) foi um comediante, ator e autor norte-americano, pioneiro, com Lenny Bruce, no humor de crítica social. A sua mais polémica rotina chamava-se "Sete Palavras que não se podem dizer em Televisão", o que lhe causou, durante os anos setenta, vários dissabores, acabando preso em inúmeras vezes que levou o texto a palco.

3 comentários:

Beck disse...

Lembrem-se: "É só questionando, que se pode evoluir", ok ? Pense nisso antes de criticar o pensamento dos outros. - Beck

SOCORRO OLIVEIRA disse...

No texto " paradoxo do nosso tempo" G.C. faz uma release do homem atual...esse homem que se deixou entorpecer pelas facilidades do mundo atual,da era digital, da superficialidade dos sentimentos,dos pensamentos desconexos... Será que evoluímos mesmo? Saímos da era onde o extinto nos comandava, e em nenhum outro tempo vimos homens tão brutalizados. Creio sim na importância de Deus em nossas vidas, mas devemos saber por que cremos... (Fé raciocinada). Fujam de dogmas e receitas para viver, nossa felicidade está dentro de nós, no amor universal e no universo de possibilidades que o mesmo nos proporciona. Sim Deus nós fez perfeitos, para sermos felizes, para amar e compartilhar. Sim é dando que se recebe ( Francisco de Assis). Sim precisamos nos conscientizar, “nos questionar”, nos amar e deixar de ser massa de manobra em mãos de falsos representantes de Deus na Terra.... corra Lola ..corra!

o importante eh o amor disse...

jesus te amor e maria tb fik em paz amando